Avalia O De Usabilidade Das Funcionalidades Ass Ncronas-Books Pdf

Avalia o de usabilidade das funcionalidades ass ncronas
22 Sep 2020 | 1 views | 0 downloads | 10 Pages | 917.16 KB

Share Pdf : Avalia O De Usabilidade Das Funcionalidades Ass Ncronas

Download and Preview : Avalia O De Usabilidade Das Funcionalidades Ass Ncronas

Report CopyRight/DMCA Form For : Avalia O De Usabilidade Das Funcionalidades Ass Ncronas



Transcription

disponibilizado pelo Facebook Para esta finalidade a A avalia o baseada no julgamento e sustentada pela. metodologia adotada para a avalia o foi primeiramente a confian a depositada na experi ncia de quem avalia a. realiza o da coleta das funcionalidades fazendo a interface 10 Recomenda se que tr s a cinco avaliadores. inspe o por todo o ambiente tradicional e m vel e estejam envolvidos na avalia o. listando as configura es de privacidade encontradas Realizar uma avalia o heur stica consiste basicamente em. Posteriormente foi realizado o estudo da t cnica adotada a analisar a interface para relatar problemas que segundo a. avalia o heur stica proposta por Nielsen 7 e todo o opini o dos avaliadores n o estejam de acordo com. processo de avalia o e an lise dos problemas encontrados princ pios de usabilidade Nesse m todo os especialistas. destacando se os principais problemas em cada ambiente examinam o sistema e fazem um diagn stico dos problemas. Em seguida foi aplicado um question rio com perguntas e das barreiras que os usu rios provavelmente encontrar o. focadas nos problemas identificados pela avalia o durante a intera o 8. heur stica e ao final apresenta se uma an lise entre os. problemas encontrados pelos especialistas e as respostas O conjunto de heur sticas proposto por Nielsen permite que. coletadas pelo question rio com os usu rios do Facebook um avaliador analise e avalie uma interface A seguir. Fogem do escopo deste trabalho as funcionalidades segue um resumo das heur sticas 7 8. s ncronas e g chat e as ferramentas disponibilizadas por 1 Visibilidade do estado do sistema o sistema deve fornecer feedback. terceiros adequado aos usu rios dentro de um tempo razo vel. 2 Compatibilidade do sistema com o mundo real o sistema deve usar. INSPE O DAS FUNCIONALIDADES DE PRIVACIDADE termos familiares ao usu rio ao inv s de termos orientados ao. A primeira etapa deste trabalho foi a inspe o de toda a software Devem ser seguidas conven es do mundo real de modo. que as informa es apare am numa ordem sequencial e l gica. interface dos ambientes do Facebook tradicional e m vel. 3 Controle e liberdade do usu rio prover sa das de emerg ncia para. buscando coletar as funcionalidades que cont m a es equivocadas dos usu rios como fun es undo e redo. configura es de privacidade Ap s a an lise individual de 4 Consist ncia e padr es um usu rio n o deve adivinhar que. cada ambiente foi realizado um comparativo da exist ncia diferentes palavras situa es ou a es significam a mesma coisa. Seguir conven es de plataforma, das configura es de privacidade para cada interface O. 5 Preven o de erros fazer um design que previna o erro antes de ele. resultado obtido foi organizado conforme Figura 1 com o acontecer Eliminar condi es que levem a erros e apresentar aos. objetivo de auxiliar na segunda etapa de avalia o Pode se usu rios uma op o de confirma o antes de finalizar a a o. observar que diversas funcionalidades existem somente em 6 Reconhecimento ao inv s de memoriza o tornar objetos a es e. op es vis veis O usu rio n o deve ter que lembrar uma informa o. uma das interfaces e outras funcionalidades est o, de uma parte para outra do di logo Instru es devem estar vis veis. dispon veis em locais diferentes para o ambiente tradicional ou ser de f cil recupera o quando necess rias. e para o ambiente m vel 7 Flexibilidade e efici ncia de uso prover meios para usu rios. experientes acelerarem a intera o e de apoiar usu rios novatos. AVALIA O DE USABILIDADE POR INSPE O 8 Design est tico e minimalista di logos n o devem conter. Os m todos de inspe o permitem que o avaliador examine informa es irrelevantes ou raramente necess rias Exibir apenas as. uma solu o de IHC para tentar prever as poss veis informa es que sejam importantes e necess rias. consequ ncias de um problema de interface Esses m todos 9 Ajudar os usu rios a reconhecer diagnosticar e corrigir erros. mensagens de erro devem ser expressas com linguagem clara. n o envolvem a participa o direta dos usu rios e ao indicando o problema e construtivamente sugerindo uma solu o. inspecionar uma interface os avaliadores se colocam no 10 Ajuda e documenta o fornecer ajuda e documenta o Essas. lugar de um usu rio comum para tentar identificar os informa es devem ser f ceis de encontrar ser focalizadas na tarefa. problemas que os usu rios podem vir a ter quando do usu rio e n o devem ser extensas. interagem com o sistema 8 Para cada problema encontrado segundo as heur sticas. apresentadas deve se associar a uma gravidade que, Existem v rios m todos de avalia o por inspe o tais baseada na combina o de tr s fatores 10. como avalia o heur stica percurso cognitivo uso de. recomenda es e diretrizes entre outros 7 Para o A frequ ncia com que ele ocorre se comum ou raro. objetivo deste trabalho foi escolhida a avalia o heur stica O impacto do problema quando ele ocorre se f cil. proposta por Nielsen primeiramente por este ser o m todo ou dif cil para o usu rio super lo. de avalia o mais utilizado 9 por ele ser amplamente. aceito na rea de IHC sendo utilizado em diferentes A persist ncia do problema problema que ocorre uma. contextos e interfaces e visto o conhecimento deste m todo nica vez e que o usu rio pode superar desde que saiba. pelos avaliadores que ele existe ou se os usu rios ser o repetidamente. incomodados por ele, Avalia o Heur stica, A avalia o heur stica um m todo de inspe o de Esses fatores influenciam os n veis de gravidade utilizados. usabilidade em que a avalia o realizada com base em um na avalia o que podem ser classificados como 7. conjunto de diretrizes chamadas heur sticas e que 0 N o encarado necessariamente como um problema de. descrevem caracter sticas desej veis na intera o usabilidade. 1 Problema est tico que n o tem necessidade de ser corrigido a. orientando os avaliadores a inspecionar sistematicamente a menos que haja tempo e recurso dispon vel. interface em busca de problemas que prejudiquem a 2 Problema pequeno com baixa prioridade na corre o. usabilidade 7 3 Problema grande com alta prioridade de corre o. 4 Problema catastr fico onde imperativo sua corre o. Figura 1 Inspe o das configura es de privacidade do Facebook junho 2012 do ambiente tradicional versus m vel. Na se o seguinte apresentado o processo de avalia o Os acessos foram feitos durante os meses de maio e junho. heur stica realizada nas funcionalidades de privacidade do de 2012 Destaca se aqui que as aplica es oficiais s o. Facebook similares tanto para o sistema operacional IOS quanto para. METODOLOGIA DA AVALIA O HEUR STICA o sistema operacional Android com poucas diferen as que. A avalia o heur stica contou com tr s avaliadores todos n o interferiram na avalia o heur stica e que n o foi. com conhecimento pr vio do m todo de avalia o e necess ria a avalia o nos dois sistemas separadamente. tamb m do ambiente a ser avaliado A seguir s o descritos Foram criados tr s usu rios do Facebook com idioma. o escopo e materiais os procedimentos de avalia o e os padr o portugu s brasileiro sendo que cada avaliador ficou. resultados obtidos na avalia o heur stica do sistema respons vel por um usu rio Todos os avaliadores. Escopo e Materiais percorreram as funcionalidades de privacidade que foram. Este trabalho avaliou i o ambiente tradicional acessado a previamente inspecionadas e documentadas conforme a. partir dos navegadores Mozilla Firefox vers o 13 0 sob o Figura 1 utilizando tanto o ambiente tradicional quanto o. Sistema Operacional Windows 7 e Google Chrome vers o m vel e buscaram interagir pelo ambiente entre o grupo e. 19 0 1084 56 sob o Sistema Operacional Windows 7 ii tamb m com outros usu rios externos ao grupo para. ambiente m vel via aplicativo oficial vers o 4 1 1 Sistema verificar e testar os recursos A avalia o no ambiente. Operacional IOS vers o 5 1 1 em um equipamento modelo tradicional foi realizada na interface default do Facebook. Ipad2 iii ambiente m vel via aplicativo oficial vers o n o sendo avaliadas as funcionalidades na interface do. 1 9 5 Sistema Operacional Android 2 2 em um modelo linha do tempo timeline. equipamento modelo Samsung Galaxy Tab modelo P1000. Procedimento da Avalia o Problema 2 N o existe op o para controle da exibi o de. O procedimento de avalia o heur stica foi realizado em informa es somente para o usu rio. tr s etapas detalhadas a seguir i uma explora o dos. sistemas buscando e entendendo as funcionalidades de Descri o Inexist ncia de op o Ningu m ou. privacidade utilizando se o mapa da Figura 1 ii per odo Somente eu caso o usu rio n o queira que. de avalia o onde cada avaliador utilizou o sistema por informa es pessoais sejam disponibilizadas a outros. tr s horas separadamente inspecionando os sistemas pelo usu rios Problema apresentado na Figura 4. menos duas vezes sendo a primeira para entender o fluxo Heur stica Violada 4 Consist ncia. de informa es do sistema e os outros focando, especificamente no objetivo do trabalho Os avaliadores Gravidade 4 N o h possibilidade Somente se a.
inspecionaram os diferentes componentes de privacidade e informa o for apagada. relataram cada problema encontrado associando os com as. heur sticas de usabilidade violadas Cada avaliador gerou. um relat rio individual apresentando um registro formal da. avalia o realizada iii uma se o final com a, consolida o da avalia o onde os avaliadores. identificaram todos os problemas encontrados discutindo. suas respectivas gravidades e sugerindo solu es Para cada. problema encontrado foram identificadas as seguintes. informa es 1 Descri o do problema 2 Heur stica, violada 3 N vel de gravidade 4 Localiza o no Figura 4 Inexist ncia de algumas op es de privacidade. Problema 3 N o existe bot o deletar itens cadastrados. Resultados da Avalia o Heur stica, Com os relat rios individuais das avalia es heur sticas foi Descri o Em algumas funcionalidades n o existe o. gerado um relat rio consolidado geral A figura 2 mostra bot o deletar Com isso o usu rio fica sem saber por. um diagrama de Venn com a vis o geral da quantidade de exemplo como apagar uma m sica de uma lista de. problemas encontrados pelos avaliadores e com a uni o dos m sicas preferidas Este problema ocorre em v rias. problemas encontrados em cada interface Alguns op es de edi o de perfil m sica livro filme. problemas foram comuns s duas interfaces televis o jogos Para apagar alguma informa o que o. usu rio quer retirar da lista preciso utilizar o teclado. Avaliador n 01, Avaliador n 02, tecla delete, 2 Heur stica Violada 1 Visibilidade do estado do. sistema 3 Controle do usu rio e liberdade, Avaliador n 03.
Gravidade 4 Este problema se apresenta como, Figura 2 Vis o geral de problemas encontrados bastante grave O usu rio n o consegue identificar a. maneira de excluir alguma informa o que foi, A seguir apresentam se os problemas identificados nos. adicionado em suas prefer ncias N o existe na, ambientes tradicional e m vel ordenados pelo grau de. interface alguma forma para realizar a a o somente. gravidade do maior para o menor, via teclado e n o existe nenhuma explica o sobre. Problemas Identificados no Ambiente Tradicional isso. Problema 1 Inconsist ncia na configura o de n vel de. privacidade para o cadastro de g nero Problema 4 Inexist ncia de op o de cancelamento de. a o a ser executada, Descri o A configura o para n vel de privacidade.
em Informa es B sicas G nero n o segue o Descri o Em algumas interfaces n o existe a op o. mesmo padr o de configura o em outros locais de cancelamento de a es executadas pelo usu rio. Problema apresentado na Figura 3 Sendo que o sistema automaticamente efetiva alguma. tarefa sem perguntar se realmente deve ser executada. Heur stica Violada 4 Consist ncia, Heur stica Violada 3 Controle do usu rio 4. Gravidade 4 O usu rio somente consegue configurar, Consist ncia 5 Preven o de erros. se a informa o ser exibida ou n o Em outros locais. poss vel realizar uma personaliza o mais refinada Gravidade 3 Problema com alta prioridade de. Figura 3 Falta de op es mais refinadas de privacidade em. configura o de g nero, Problema 5 Definir n vel de privacidade para campos com Problema 7 Mensagens Informa es apresentadas em. m ltiplos itens idiomas diferentes, Descri o Campos que permitem a adi o de diversos Descri o Em alguns pontos da interface. itens apenas tem o recurso de definir o n vel de principalmente nas mensagens de erro e nos termos da. privacidade para o grupo inteiro Caso seja adicionada pol tica de privacidade aparecem informa es. uma nova informa o n o fica claro para o usu rio se escritas em um idioma diferente do utilizado. o n vel de privacidade informado ser aplicado apenas eventualmente pelo usu rio Mesmo sendo a interface. ao novo registro ou ao grupo todo Este problema do sistema toda desenvolvida em portugu s Brasil. ocorre para os demais campos que permitem adicionar existem informa es que eventualmente s o. m ltiplas informa es Problema apresentado na apresentadas em ingl s EUA Problema apresentado. Figura 5 na Figura 7, Heur stica Violada 4 Consist ncia 5 Preven o de Heur stica Violada 4 Consist ncia.
erros Gravidade 2 O usu rio pode realizar a tarefa caso. Gravidade 3 O usu rio pode alterar seu perfil consiga compreender a informa o apresentada em. normalmente mas n o consegue informar um n vel de outro idioma ou pode ser impedido caso n o. privacidade espec fico para cada uma das informa es compreenda a informa o Em Julho de 2012 o. Do mesmo modo ao inserir uma nova informa o n o problema j havia sido arrumado. fica evidenciado se o n vel de privacidade informado. Para tanto contou com a realiza o de uma avalia o em tr s etapas composta primeiramente pela an lise e inspe o das configura es relacionadas privacidade para os dois ambientes dispon veis ambiente tradicional web e ambiente m vel A segunda etapa foi a realiza o de uma avalia o heur stica por tr s especialistas focada nas funcionalidades encontradas na etapa

Related Books

Visual C Programming Davide Vitelaru

Visual C Programming Davide Vitelaru

In this chapter you will learn how to make an application in Visual Studio from start to finish How to code it design it and publish it Step 1 Creating the project To start open Visual C Express or Visual Studio and create a new project by pressing on the New

NVIDIA CUDA Installation Guide for Microsoft Windows

NVIDIA CUDA Installation Guide for Microsoft Windows

of Visual Studio Also installs Nsight Visual Studio Edition as well as the NVIDIA Tools Extension SDK This integration allows for CUDA development within Visual Studio demo suite 10 1 Prebuilt demo applications using CUDA documentation 10 1 CUDA HTML and PDF documentation files including the CUDA C Programming Guide CUDA C Best Practices

Graphics Programming with GDI pearsoncmg com

Graphics Programming with GDI pearsoncmg com

Graphics Programming with GDI Boston San Francisco New York Toronto Montreal London Munich Paris Madrid Capetown Sydney Tokyo Singapore Mexico City Color Figures Figure 2 4 Drawing a line from point 0 0 to point 120 80 13 Figure 2 5 Creating a Windows application 13 Figure 2 6 Adding a reference to System Drawing dll 14 Figure 2 7 The

How to Generate Charts and Graphs using Visual Studio Express

How to Generate Charts and Graphs using Visual Studio Express

Using Graphics Server NET How to Generate Charts and Graphs using Visual Studio Express It s no secret that displaying lots of raw numbers to people can quickly lead to confusion and frustration If you are familiar with Microsoft Office or any other office productivity suite you have probably seen charts and graphs used to convey data in a clear and concise manner There are many

Using Microsoft Visual Studio to Create a Graphical User

Using Microsoft Visual Studio to Create a Graphical User

Using Microsoft Visual Studio to Create a Graphical User Interface ECE 480 Design Team 11 Application Note Joshua Folks April 3 2015 Abstract Software Application programming involves the concept of human computer interaction and in this area of the program a graphical user interface is very important Visual widgets such as checkboxes and buttons are used to manipulate information to

Squeezebox Radio Feature Guide 10 14 2009 Logitech

Squeezebox Radio Feature Guide 10 14 2009 Logitech

Squeezebox Radio Feature Guide 10 14 2009 4 Thank you Thank you for purchasing the Logitech Squeezebox Radio a Wi Fi music player that delivers clean rich sound anywhere in your home We hope you have as much fun using your Squeezebox as we did building it for you User Guides There are two complementary Squeezebox Radio guides Squeezebox Radio Quick start guide Takes you through the

User Guide Mood Media

User Guide Mood Media

This Feature Guide provides detailed instructions on how to use the various features of the ProFusion iO Pandora and the use of the Online Control Panel to control your stations For instructions for the setup of your

Feature guide Mood Media

Feature guide Mood Media

your account through Pandora com be sure to log into the Pandora account associated with the player Any changes made from the player or Pandora com will synchronize automatically If you would like to lock the front panel interface to prevent unauthorized changes please call DMX at 800 929 5407

PANDORA HACKER GUIDE

PANDORA HACKER GUIDE

PANDORA HACKER GUIDE WARNING Modifying your PCB is not covered by your warranty and any damage caused as a result will be the sole responsibility of the owner to fix or to have fixed at a fee set by the repair facility The information provided here is for reference purposes only and the test points available were made accessible for the manufacturer s use but can be used by a

Name of Lesson Affective Lesson 3 Mission Statements

Name of Lesson Affective Lesson 3 Mission Statements

More abled writers or students who are clear in their values may write their mission statements without using the support materials on the Covey website Students who struggle with writing or who are unclear of how to begin the process may use the tools on the Covey website to assist them with the writing of their mission statements

CALIPSO CloudSat SCIENCE WRITER GRACE NASA

CALIPSO CloudSat SCIENCE WRITER GRACE NASA

The CALIPSO CloudSat and GRACE missions WHAT IS THE PURPOSE OF THIS SCIENCE WRITER S GUIDE This publication is intended to be a one stop resource for science writers and reporters who want to write about any of these three missions For each satellite the guide includes a quick reference sheet Q amp A basics on the science of each mission public affairs and scientist contact information